Identificação de Viola riviniana

Flora-on:
[A] https://flora-on.pt/#/1viola*noroeste+ocidental
viola,noroeste ocidental
[B] https://flora-on.pt/#/1viola*noroeste+montanhoso
viola,noroeste montanhoso
[C] https://flora-on.pt/#/1viola*lous%c3%a3
viola,lousã
[D] https://flora-on.pt/#/1viola*serra+da+lous%c3%a3
viola,serra da lousã

Espécies mais prováveis:
[A1,B2,D1] Viola palustris subsp. palustris
[A2,B4,C,D2] Viola riviniana
[A4,B3,D3] Viola lactea
[A5,B5,D4] Viola kitaibeliana
[A3,B1] Viola langeana
[A,B] Viola arvensis
[A] Viola canina

Quadro comparativo das 5 espécies mais prováveis e com imagens:
https://flora-on.pt/#/4mKf4_Kh7FjMxhM_53CA-xAgpsm
As folhas de Viola kitaibeliana são muito diferentes.
A dúvida parece ser entre Viola riviniana, Viola palustris e Viola lactea - mas Viola palustris parece ter as flores mais esbranquiçadas (com as pétalas superiores reviradas para trás) e Viola lactea parece ter as folhas lanceoladas e não cordiformes.

Flora Iberica: http://www.floraiberica.es/floraiberica/texto/pdfs/03_065_01_Viola.pdf
Página 295, figura 11: novamente se observa que as folhas de Viola lactea são lanceoladas e não cordiformes.
Página 306, lâmina 84: as folhas de Viola langeana são completamente diferentes (além disso Viola langeana tem flores amarelas).

  • Chave para Viola riviniana:
    1B-3B-17B-18B-28B-30A-31B-32A

  • Chave para Viola palustris:
    1B-3B-17B-18A-19A

  • Chave para Viola lactea:
    1B-3B-17B-18B-28B-30B-33A

A distinção entre V. riviniana e V. palustris faz-se no passo 18:

  • 18B (V. riviniana):
    Plantas que desarrollan tarde o temprano tallos aéreos más o menos erguidos.

  • 18A (V. palustris):
    Plantas carentes en todo momento de tallos erguidos.

A distinção entre V. riviniana e V. lactea faz-se no passo 30:

  • 30A (V. riviniana):
    Tallos floríferos que nacen lateralmente de la roseta de hojas basilares que remata cada rama del rizoma.

  • 30B (V. lactea):
    Tallos que simple y directamente continúan de las ramas del rizoma, sin que haya roseta de hojas en el extremo de las mismas.

Se bem compreendo pela chave e pelas imagens,

  • V. palustris é sempre rasteira: só os pedúnculos florais é que se erguem significativamente acima do solo - https://flora-on.pt/#/hxT-H
  • V. lactea será menos ramificada junto ao solo do que V. riviniana - https://flora-on.pt/#/hNFQP
    Infelizmente as imagens disponíveis na Flora-on.pt e em jb.utad.pt praticamente não mostram estas caraterísticas.

Outras caraterísticas que julgo notar em Flora-on.pt e jb.utad.pt:

  • Em V. riviniana e V. lactea a pétala inferior é marcadamente mais clara (quase branca) no centro da flor, onde os veios de cor violeta são mais intensos; em V. palustris a pétala inferior tem cor mais uniforme.
  • Em V. palustris esses veios escuros na pétala inferior estendem-se quase até à margem da pétala; em V. riviniana e V. lactea ficam esbatidos tipicamente na margem da zona branca, a meio da pétala.
  • As nervuras da folha parecem mais sulcadas e translúcidas em V. palustris, mediamente sulcadas e translúcidas em V. riviniana, menos sulcadas e não translúcidas em V. lactea.
  • As folhas de V. palustris têm habitualmente curvatura cónica, as de V. lactea têm curvatura mais cilíndrica e as de V. riviniana têm curvatura intermédia entre a forma cónica e a cilíndrica.
  • As folhas de V. palustris são tipicamente arredondadas (comprimento igual à largura), as de V. lactea são tipicamente angulosas na extremidade (comprimento cerca de 1,5 vezes a largura) e as de V. riviniana têm habitualmente forma intermédia (apenas ligeiramente mais compridas do que largas).

As imagens de Viola lactea no iNat sugerem ainda que a pétala inferior termina frequentemente em bico. Essa caraterística é vagamente percetível em https://flora-on.pt/#/hNFQP e https://jb.utad.pt/especie/Viola_lactea#imagem-13193 .

Em jb.utad.pt refere-se que V. riviniana e V. palustris ocorrem em relvados húmidos e habitat ripícola, enquanto V. lactea ocorre em matagais.

De acordo com a Flora-on e jb.utad.pt o período de floração de V. riviniana é o mais precoce e mais extenso, fevereiro-junho (Flora-on) ou março-agosto (jb.utad.pt); o de V. lactea é um pouco mais tardio, março-junho (Flora-on) ou maio-julho (jb.utad.pt); o de V. palustris é ainda mais tardio, março-julho (Flora-on) ou junho-agosto (jb.utad.pt). O pico ocorre em março-abril para V. riviniana e V. lactea, abril-maio-... para V. palustris. A diferença é ligeira - muito mais ambígua do que nas urzes, por exemplo.

Não consigo encontrar uma única caraterística que seja bem visível nas fotografias e permita identificar a espécie. É necessário começar a fotografar mais cuidadosamente as raízes, os caules, as folhas basais e possivelmente as estípulas em busca de diferenças. Mais tarde, se for possível identificar três tipologias diferentes,

  • a tipologia mais comum em zonas húmidas ou mesmo ripícolas deverá corresponder a V. riviniana para a qual há registos em quase todo o país;
  • a tipologia menos comum em zonas ripícolas deverá corresponder a V. palustris pois na Flora-on ainda não há registo dessa espécie na Lousã;
  • a tipologia mais comum em zonas menos húmidas deverá corresponder a V. lactea.
Posted on 07 de abril de 2022, 11:35 PM by mferreira mferreira

Comentários

Muy interesante, con toda seguridad nos hacen falta comentarios como el tuyo para poder establecer unas identificaciones de base fotográfica, fenológica, ecológica y geobotánica y no de herbario, con tipos bien definidos y sabiendo que carácteres hay que fotografiar. Lo estudiaré con atención. Gracias

Publicado por angel_fernandez_c... cerca de 2 anos antes

Obrigado pelo comentário encorajador! Sou um aprendiz, e como tal preciso de escrever muito para começar a arrumar ideias. :-) Hoje dediquei-me ao género Geranium... bem mais fácil do que Viola (ou Cytisus ou Myosotis ou tantos outros...).

Publicado por mferreira cerca de 2 anos antes
Publicado por mferreira cerca de 2 anos antes

Por aqui, algum especialista não conseguiu separar consistentemente V. riviniana de V. arvensis. Eu só dou V. arvensis em áreas cultivadas ou em plantas extremamente grandes (mais de um pé)

Publicado por angel_fernandez_c... cerca de 2 anos antes

Adicionar um Comentário

Iniciar Sessão ou Registar-se to add comments