Nível de invasão por espécies exóticas: escala simplificada baseada na percentagem de área invadida

  • Nível 0: probabilidade de invasão num prazo de 5 anos inferior a 50%.
  • Nível 1: probabilidade a 5 anos superior ou igual a 50% mas sem invasão visível no momento da observação.
  • Níveis 2-6: a percentagem máxima de área invadida segue uma progressão geométrica de razão 5; o nível de invasão 5 corresponde a um máximo de 5% de área invadida.
  • Níveis 6-8: a percentagem mínima de área não invadida segue uma progressão geométrica de razão 1/5.

Desta definição resultam os seguintes intervalos para a percentagem de área invadida:

  • Nível 2: 0+ - 0,04
  • Nível 3: 0,04 - 0,2
  • Nível 4: 0,2 - 1
  • Nível 5: 1 - 5
  • Nível 6: 5 - 25 (mínimo 75% de área não invadida)
  • Nível 7: 25 - 85 (mínimo 15% de área não invadida)
  • Nível 8: 85 - 97 (mínimo 3% de área não invadida)
  • Nível 9: 97 - 100

Vantagens desta escala:

  • Define-se em poucas palavras, o que lhe confere objetividade e facilita a memorização e aplicação.
  • Os valores de corte para os vários níveis são fáceis de calcular e memorizar pois baseiam-se no número 5.
  • É aproximadamente equivalente às versões anteriores da escala e não se afasta dos valores de corte que têm sido considerados na prática.
  • Por ser coerente com a definição original, continua a ser possível afirmar-se que os níveis 2 e 3 são "aptos para ações de voluntariado", os níveis 4 e 5 "requerem intervenção técnica", o nível 6 "pode ser controlado mas não revertido" e os níveis 7 a 9 são "irreversíveis".
  • Segue aproximadamente um modelo logístico, na medida em que apresenta convergência aproximadamente exponencial para os dois valores limite (o modelo logístico que minimiza o erro relativo face aos valores de corte desta escala é aproximadamente y=100/(1+159000.e^(-1,89x))).
  • Sendo esta escala compatível com o modelo logístico, é razoável supor que o tempo de permanência em cada nível intermédio (de 1 a 8) seja aproximadamente igual em todos esses níveis.

O critério para distinção entre os níveis 0 e 1 não é um critério arbitrário baseado no número 5: ele respeita o princípio de que o tempo de permanência em cada nível seja aproximadamente constante. A experiência no terreno sugere que esse tempo seja de aproximadamente 7 anos em cada um dos níveis 2 a 8; pretende-se que a permanência no nível 1 também tenha uma duração média de 7 anos.
É razoável admitir que a ocorrência de invasão num local em risco (nível 1) seja um processo de Poisson, o que implica que o tempo até à ocorrência da invasão siga uma distribuição exponencial com valor médio 7. A função de distribuição correspondente é F(t)=1-e^(-t/7) e de acordo com esse modelo a probabilidade de ocorrência de invasão num prazo de 5 anos será F(5)=1-e^(-5/7) cujo valor é aproximadamente 0,5 (50%).

Ainda sobre a estimativa de 7 anos para o tempo de permanência em cada nível: se a área invadida é multiplicada por 5 a cada 7 anos, então o tempo necessário para a duplicação da área invadida é t=7log(2)/log(5), muito próximo de 3 anos. Este valor está inteiramente de acordo com a perceção subjetiva resultante de muitas centenas de horas de observação de áreas invadidas por acácias ao longo dos últimos anos.

Publicado por mferreira mferreira, 15 de março de 2021, 12:01 AM

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Adicionar um Comentário

Iniciar Sessão ou Registar-se to add comments