FRISK - Determinação de rotas de invasão de peixes introduzidos em ecosistemas dulciaquícolas: avaliação de risco

Os impactos das espécies invasoras acarretam enormes custos económicos e sociais. Na Europa foram avaliadas perdas económicas de mais de 12,5 mil milhões de euros por ano devido às espécies invasoras, podendo estas chegar a assumir valores economicamente insustentáveis. A identificação das principais vias de entrada e a determinação dos padrões de dispersão espacial são ferramentas essenciais para a prevenção das espécies invasoras.

O projeto FRISK centra-se na biodiversidade dos ecossistemas dulçaquícolas ib
éricos, pois são estes os mais afetados por espécies invasoras. Acresce ainda, que os peixes de água doce representam o grupo de vertebrados mais introduzido em todo o mundo, podendo funcionar como indicadores da invasão de outros taxa menos perceptíveis, como invertebrados aquáticos.

O elevado número de peixes ex
óticos presentes da Península Ibérica são oriundos, principalmente, da Europa Central e foram introduzidos devido à pesca desportiva. Estes peixes invasores ameaçam a biodiversidade ictiofaunística endémica presente na Península Ibérica. Actualmente assistimos a uma taxa de chegada de novas espécies de peixe das mais elevadas do mundo, com uma nova espécie a cada dois anos.

O presente projecto quer prever a chegada de peixes invasores à Península Ibérica, através de 1) identificar as suas principais rotas europeias de entrada, 2) compreender os padrões de dispersão espacial destas espécies, e 3) mapear as áreas com maior risco de introdução de peixes invasores. Pretende-se implementar um Sistema de Alerta de Peixes Invasores on-line para a deteção rápida de espécies invasoras e divulgação do projecto.